Tudo ou nada. E aí, topa?

0

Cresci na igreja. Se você me perguntar sobre o sacrifício que Jesus fez por nós, eu saberei te explicar. Eu entendo a seriedade e a importância disso, mas por quê tem dias que parece que eu esqueço? Ou parece que em alguns dias o amor de Deus por mim faz mais sentido do que em outros? Sei que não sou a única que passa por isso.

Sempre me considerei boa em comparação ao resto do mundo e, provavelmente, você que está lendo isso também deve se considerar uma pessoa boa. Esses dias eu estava lendo um livro que chama-se “Louco Amor”, do Francis Chan. Quando vi que o título do quarto capítulo era sobre “cristãos mornos” eu confesso que meu instinto me dizia para pular para o quinto, afinal, nunca gostei da ideia de me considerar uma pessoa “morna”.

Deus me incomodou a ler, e desde então meu coração tem sofrido mudanças incríveis. Te encorajo a ler esse texto até o final. Garanto que algo vai mudar em você também.

“O Reino dos céus é como um tesouro escondido num campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o de novo e, então, cheio de alegria, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquele campo. Mateus 13:44

A única maneira de responder ao sacrífico e amor louco de Jesus é fazer como o homem fez quando o encontrou. Ele vendeu TUDO o que tinha para comprar a única coisa que passou a ter sentido em sua vida. Será que nós faríamos isso? Será que amamos tanto a Deus a ponto de vender  tudo, repito TUDO, para seguir somente a Ele?

Será que o nosso relacionamento com Deus mudou mesmo a nossa maneira de viver? As pessoas conseguem ver evidências do reino de Deus na sua vida? Você está satisfeito em ser uma pessoa suficientemente boa?

Aqui vai mais uma pergunta: você se descreveria uma pessoa totalmente apaixonada por Jesus Cristo?

A Bíblia nos orienta a examinarmos a nós mesmos, e isso nem sempre é muito fácil ou agradável. Esse capítulo pode não ser o mais gostoso de ler, na verdade eu mesma quis me esquivar dele e pular para a parte que fala do quanto eu sou amada por Deus e aquela coisa toda de auto-estima cristã. Mas o fato é de que ele foi transformador para a minha vida, e quero que seja para você também.

Pessoas mornas são movidas por histórias de pessoas que fazem coisas radicais por Cristo, mas elas mesmas não agem

“Queria viver o que ele(a) está vivendo”, “Queria ter um relacionamento real com Deus, como ele(a) tem”, “Porque eu não vivo experiências como ele(a)?”. Quantas vezes você se pegou fazendo algumas dessas perguntas para Deus, ou para você mesmo? Eu perdi as contas.

Muitas vezes temos a nossa fé baseada na de outras pessoas. Com muita frequência eu acordo tão preocupada com as coisas do dia a dia que só vou lembrar de Deus depois do almoço. Muitas vezes eu abro o meu Facebook de manhã, vejo algum testemunho legal de alguém, penso “nossa, queria que tivesse sido comigo” e então ouço Deus falar comigo “como seria se você não me busca e nem me deixa te usar?”.

Deus usa aqueles que O buscam e que se colocam disponíveis para fazer loucuras por Ele. Quando pedimos para ser usados por Ele, quando pedimos para ser Jesus na vida de outras pessoas, as oportunidades sempre aparecem.

Gente morna considera radical demais o que Jesus espera de seus seguidores.

O que acham? Havia um homem que tinha dois filhos. Chegando ao primeiro, disse: “Filho, vá trabalhar hoje na vinha”. E este respondeu: “Não quero!” Mas depois mudou de idéia e foi. O pai chegou ao outro filho e disse a mesma coisa. Ele respondeu: “Sim, senhor!” Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? “O primeiro”, responderam eles. Mateus 21:28-31

Pessoas mornas não desejam de fato serem libertas do pecado, mas do castigo que o pecado trás

Quanto tempo faz que você chorou angustiado por ter cometido aquele pecado mais uma vez? Quanto tempo faz que você se sentiu envergonhado por estar tão sujo diante de um Deus tão santo? Quanto tempo faz que você foi dormir sorrindo sabendo que ele amassou aquela sua folha cheia de pecados escritos e te deu uma novinha, para começar a escrever sua história do zero?

Quanto mais mergulhamos no conhecimento de Deus, a luz que buscamos começa a nos iluminar, mostrando tudo o que está sujo. Isso vai além de qualquer religiosidade ou obrigação de confessar os seus pecados apenas por querer se livrar do castigo ou das consequências.

Pessoas mornas dizem amar a Jesus, mas Ele é apenas uma parte pequena de suas vidas

“Deus, eu te amo, mas deixa que dessa parte eu cuido”. Muitas vezes Deus não tem permissão de controlar as nossas vidas. Vamos a igreja, nos ajoelhamos e cantamos músicas sobre estarmos rendidos e entregando as nossas vidas, mas quando o culto acaba nós pedimos de volta aquela parte que “demos” a ele no momento de louvor.

Confiamos em Deus até o momento em que percebemos que aquele relacionamento está nos afastando Dele e que se isso nos faz pecar, deveríamos abandonar. Não queremos abandonar.

Quando andavam pelo caminho, um homem lhe disse: “Eu te seguirei por onde quer que fores”. Jesus respondeu: “As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. A outro disse: “Siga-me”. Mas o homem respondeu: “Senhor, deixa-me ir primeiro sepultar meu pai”. Jesus lhe disse: “Deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos; você, porém, vá e proclame o Reino de Deus”. Ainda outro disse: “Vou seguir-te, Senhor, mas deixa-me primeiro voltar e despedir-me da minha família”. Jesus respondeu: “Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus”. Lucas 9:57-62

Pessoas mornas amam o próximo até onde podem receber esse amor em troca

Nosso amor quase 100% das vezes é focado em pessoas que podem retribuir esse amor, como familiares, amigos e pessoas próximas a nós. Depositamos todo o nosso tempo e o nosso carinho em pessoas que sabemos que farão o mesmo por nós. Visitamos no hospital apenas aquele que nos trata da forma que merecemos, se não, não fazemos questão. “Por que eu iria? Ele não estaria lá por mim”.

Por que é tão difícil sacrificarmos o nosso tempo e esforço com pessoas que não nos trazem nenhum sentimento de reciprocidade? Porque isso é andar na contramão do mundo. Isso é amar ao próximo da maneira que Jesus quer que amemos.

Vocês ouviram o que foi dito: “Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo”. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos. Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa vocês receberão? Até os publicanos fazem isso! E se saudarem apenas os seus irmãos, o que estarão fazendo de mais? Até os pagãos fazem isso! Mateus 5:43-47

Pessoas mornas pensam na vida terrena muito mais do que no céu

Nossa lista de atividades diárias é focada em trabalhos de faculdade, reuniões, ligações que temos que fazer, problemas a resolver e consultas médicas que nos tiram o sono. Nos esquecemos que daqui 70 anos provavelmente todos que conhecemos estarão mortos e daqui uns 100 anos ninguém se lembrará de nós.

E depois?

A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Filipenses3:18-20

Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas. Colossenses 3:2

Jesus pede tudo. E oferecemos nada.

Jesus não pede para que carreguemos parte da cruz. Ele não quer que seguremos uma das pontas ou que arrastemos com a barriga.

Tome a sua cruz e siga-me”. Entendeu? A cruz inteira.

Em nenhum lugar da Bíblia lemos que nossa jornada aqui nesse mundinho azul seria fácil e que não teríamos que nos sacrificar, apenas sorrir e acenar seria suficiente.

Qualquer de vocês que não renunciar a tudo o que possui não pode ser meu discípulo. Lucas 14:31-33

A ideia de uma pessoa se considerar “cristã” sem ser uma seguidora dedicada de Cristo é absurda.  Por algum tempo da minha vida eu pensei que poderia ser cristã sem necessariamente ser uma discípula, mas como eu poderia se esse foi o último pedido de Jesus? Ir ao mundo, fazer discípulos de todas as nações e ensiná-los a obedecer os seus mandamentos?

É aí que entra o maior presente de todos. A graça de Deus nos cobre. Todos temos partes mornas em nossas vidas espirituais! A jornada não é fácil e muitas vezes esquecemos daquele que pensa em nós a cada segundo desde antes de nascermos, mas Ele não se esquece de nós. Esse mesmo homem, que criou o universo e chama as estrelas pelo nome , hoje olha para você e te faz um desafio.

E aí. Tudo ou nada, topa?

 

 

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?