Que país é esse?

0

“…ninguém respeita a constituição, mas todos acreditam no futuro da nação!! Que pais é esse? Que pais é esse…?”

O país vive em um caldeirão político em que todos fazem parte da mesma “sopa”, um frenesi incontrolável por conta de uma avalanche de denúncias e fatos vergonhosos comprovados.  Isto tem suscitado sentimentos desprezíveis e angustiantes como o ódio, a intolerância, a repulsa… entre outros.

Milhões de pessoas (cerca de 70% da população) estão nas ruas protestando contra um governo, muitos pedem pelo impeachment da Srª Dilma Rousseff, porém o sentimento que mais se aflora nestas manifestações é o desejo de um Brasil melhor. Estas manifestações têm ocorrido de forma apartidária, visto que a luta é em prol de um país e não por interesses partidários.

Nós cristãos, temos nossas convicções políticas e ideológicas divergentes, porém os sentimentos que devem se sobressair entre todos são a tolerância, a paz e, sobretudo o amor ao próximo.

Sabemos, respeitamos e reconhecemos que a Igreja ou púlpito são consagrados para exaltar unicamente a Deus, são instrumentos que devem ser utilizados para anunciar o evangelho, porém nada pode nos ceifar de lutarmos por tempos melhores. Precisamos enxergar o Cristianismo de uma forma mais ampla e se for o caso porque não trazer para o templo nossas preocupações e orarmos em uma única voz por nosso país?

Como devemos nos comportar enquanto cristãos frente a tanta barbárie?

Precisamos lutar por um país melhor, precisamos combater os problemas crônicos na sociedade brasileira, como a corrupção e a impunidade. A maior manifestação que podemos  e devemos realizar são nas urnas. Não podemos ter uma conduta que dissemine o ódio e muito menos suplantar o desejo de vingança. Precisamos lutar para que os crimes cometidos sejam investigados e os criminosos julgados, independentemente da posição que ocupem. Penso que os ritos legais sejam cumpridos para isso, mesmo que o clamor das ruas não seja atendido.

Antes de sairmos em defesa do país, precisamos fazer uma auto reflexão, quanto nossa conduta ética e moral, temos hábitos de pequenas corrupções como: comprar produtos falsificados, roubar o sinal da TV a cabo, apresentar atestado médico falso, furar fila, parar em vagas de deficientes…

Aceitar ou praticar essas “pequenas” faltas nos igualam àqueles que praticam faltas maiores nos tornando tão criminosos quanto esses que estão sendo investigados.

E quanto a Jesus, qual seria sua  posição  frente a tudo que estamos vendo na política de nosso país?

A palavra corrupção significa: ter um coração (cor)  rompido (ruptus) e pervertido. A mensagem de Jesus era, sem dúvida, revolucionária, Ele teve uma atuação política de fato, mas a nível profético. Seu objetivo era o Reino de Deus, seus pensamentos eram pautados em um futuro melhor para o  mundo e para o homem.

Ele desejava transformação radical da condição ou da situação existente. Jesus esperava uma mudança fundamental da situação, a imediata instauração do reinado de Deus em lugar da ordem humana de governo.

Penso que precisamos absorver tudo que está ocorrendo, refletir e buscarmos sermos melhores, precisamos de um despertar cristão urgente!

O sonho brasileiro da Política

 

Escrito por Raphael Henriques.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?