Por que minha igreja não canta?

0

Ah como é frustrante ver uma igreja que não canta. Uma igreja assim pode apresentar vários problemas, dos mais simples aos mais sérios. Como líder de música sempre fico muito inquieto quando não vejo uma comunidade cantar e fico pensando: quais seriam alguns motivos para ela não cantar? Será que não precisamos reavaliar ou repensar algumas coisas? Estamos cumprindo com o nosso propósito? Dentre outras..

Este post surgiu em paralelo ao 4 equívocos na hora de ministrar o louvor.

1- Devoção diária

Se os membros da sua igreja não tem uma vida diária de devoção não dá pra esperar muita participação na hora do culto, ainda mais se não tocar a musica que eles tanto gostam. Se sua igreja não vive uma espiritualidade com Deus no dia a dia o que ela terá para contribuir no culto? Afinal, durante o culto cada pessoa tem algo para ofertar (1 Coríntios 14.26; Efésios 4.11,12) e esse algo esta sendo desenvolvido diariamente e não na oração de um minuto antes do culto. Nossa adoração em comunidade cresce e se torna genuína quando a igreja vive diariamente uma vida devocional e anseia pelo culto para celebrarem juntos àquilo que desenvolveram com Deus ao longo da semana. Em certo sentido o culto de domingo expressa como anda a vida com Deus da sua igreja e o momento de louvor não deixa de ser um reflexo dessa relação.

    

2- Sempre a mesma coisa

Estamos inundados no “mar do mais do mesmo”. Seja nas letras ou musicalmente (Ok! Não vou e não posso generalizar).

De um lado temos diversas musicas que expressam o desejo humano na adoração e não a contemplação do Pai, do Filho e do Espírito. O problema do excesso desses cânticos é uma comunidade centrada em si mesmo. Uma das melhores coisas que nós temos como igreja é a unidade de pessoas diferentes num mesmo lugar adorando ao único Deus, mas nossos momentos de louvor focam em excesso no individualismo, quando na verdade poderíamos aproveitar muito mais essa preciosa unidade que Cristo comprou e nos deu gratuitamente cantando canções que expressam o nós e não e somente o eu e que promovem a interatividade entre as pessoas ao invés de cada uma ficar no seu lugar cantando como se não tivesse ninguém do seu lado.

Ainda pensando um pouco sobre nossas letras, precisamos abrir espaço para letras mais profundas e não tão rasas que repetem 6 vezes a mesma frase, por exemplo: eu te amo, eu te amo (3x)… Você não precisa sempre provar ou mostrar que ama a Deus cantando EU TE AMO, o próprio Cristo disse: “aquele que me ama obedece os meus mandamentos” (João 14.21), outra maneira de mostrar o quanto você ama a Deus é cantando sobre Ele mesmo e não só sobre o que você sente. Nosso louvor não pode ficar refém das nossas emoções porque nem sempre elas emoções irão se manifestar e nem sempre elas serão genuínas. E aí como fica o louvor?

Sua igreja pode sim estar cansada de ouvir a mesma música e o mesmo arranjo o tempo todo. Quando olhamos para a Palavra vemos que existem pelo menos 4 tipos de salmos por exemplo: lamento (Salmo 13; 51), louvor (Salmo 8; 33), gratidão (Salmo 32; 67), imprecatórios (Salmo 12; 140), leia um de cada e veja a diversidade da poesia dos autores e avalie o conteúdo das canções que vocês cantam. Nossas igrejas precisam aprender novas formas de expressão poética e musical para que ela não caia na mesmice e por consequência deixe de cantar.

Por outro lado o mais do mesmo tem dominado nosso estilo musical. Por anos (dependendo da sua igreja) foram os hinos e só eles, depois surgiram outras canções e compositores com um universo musical mais refinado e estilos diferentes, no entanto, a maioria hoje não passa da mesma sequencia de acordes que se encaixam em 80% das nossas musicas. O campo harmônico foi reduzido a G, D, Em e C. Eu não tenho base bíblica para falar sobre campo harmônico e estilo musical, mas a diversidade de estilos mostra que você esta interessado em ofertar a Deus essa capacidade que Ele próprio deu ao homem para desenvolver e usar múltiplos estilos na adoração. Vez e outra trabalhe um pouco essa diversidade e avalie como sua igreja irá responder a isso porque ela pode estar cansada do mais do mesmo.

3- Entendimento

Eu lembro que quando adolescente em hipótese alguma gostaria de estudar teologia, hoje terminando o mestrado vejo que foi uma das melhores coisas que já fiz. Bíblia, teologia, livros, autores dos mais diversos me levam a entender melhor o propósito nessa vida, inclusive quando se trata de louvor. Sua igreja talvez não cante porque acha que não precise e se ela pensa assim é porque não foi ensinada sobre o que é o louvor. O louvor é fruto do entendimento que vem pela fé naquilo que Deus fez por nós. Você não canta porque os males espanta como diz o ditado popular, você canta porque você entende a obra de Deus na sua vida e da sua comunidade, e que a partir disso vocês vivem agora para o louvor da glória de Deus (Ef 1.3-12). O louvor é uma expressão com os lábios sobre o que sua mente e coração sentem e pensam sobre Deus (Hb 13.15-16). Assim como a oração o louvor é um meio de expressão da nossa fé a Deus e Ele próprio possibilitou e nos deu esse meio para nos relacionarmos com ele.

A adoração é a resposta humana à auto-revelação do Deus trino, que envolve: (1) a iniciação divina, na qual Deus graciosamente se revela, seus propósitos, e vontade; (2) uma relação espiritual e pessoal com Deus através de Jesus Cristo habilitado pelo ministério do Espírito Santo; e (3) uma resposta do adorador com alegre adoração, reverência, humildade, submissão e obediência. (David Nelson).

Outra problema nesse sentido de falta de entendimento é quando pessoas dividem o culto duas partes: louvor e pregação. Nessa divisão muitos escolhem em qual querem estar. Sabe aquele irmão que chega no final da última musica ou aquele outro que sabe a hora certa da pregação começar e aí então ele entra na igreja?! Pois é, eles podem achar que a parte mais importante do culto é uma e por isso abrem mão da outra, mas onde está isso na Bíblia?! Eles assistem o culto, mas não oferecem a si mesmos como sacrifício vivo cultuando a Deus. Eles precisam ser ensinados que tudo na adoração comunitária é culto e por isso são chamados a participar.

Talvez sua igreja não canta porque não queira cantar! Pessoas chegam feridas e tristes nos cultos e nem sempre estão motivadas a cantar, não há problema nisso desde que elas estejam adorando e buscando em Deus confiança, abrigo, arrependimento…,coisas que somente Deus pode operar para libertá-las. Tiago fala para aquele que esta alegre, cantar louvores; aquele que esta triste, ore (Tiago 5.13). De uma forma ou outra Deus ainda é alvo principal. E mais uma vez, mesmo diante de situações em que nosso coração está triste, apreensivo ou temeroso, o salmista nos lembra que ainda podemos louvar a Deus na adversidade, este é mais um ponto que podemos ensinar para a igreja.

4- Excelência

Nesse ponto a bandinha do chaves pode ser um bom exemplo. Lembra deles ensaiando? Cada um tocando seu instrumento toda hora e de qualquer jeito? Então, sua equipe de louvor não pode em hipótese alguma ser como a banda do chaves! Sua igreja pode não entender muito de música, mas eles tem ouvidos e se o momento de louvor for uma bagunça tecnicamente eles vão perceber; se o som está muito alto eles não irão cantar; se o vocal estiver desafinado eles podem ter dificuldade de se concentrar, e assim por diante. Você esta dizendo que a igreja pode ficar refém da qualidade musical? Não! Mas não sejamos tão espirituais ao ponto de forçar a barra dizendo que Deus só se importa com o coração e não usaremos isso como desculpa para o desleixo técnico musical. Nosso papel é ofertar sempre o melhor louvor na totalidade do que ele representa, Deus nos capacita e continuará nos capacitando a desenvolver um momento de louvor agradável a igreja. A melhor banda é aquela que pensa na igreja, aquele que sabe harmonizar técnica e coração, aquela que esta disposta a ofertar a sua excelência para que uma comunidade inteira possa em unidade celebrar a pessoa de Cristo Jesus.

Outro fator que pode ser um empecilho para sua igreja cantar é quando o culto se torna show. Luzes, a igreja escura, a banda fazendo questão de evidenciar a sua performance. Todos ficam atentos nos músicos, nos telões que não sobra tempo pra cantar. Ah como é bacana luzes e grandes telões, melhor do que isso é poder ser um participante e não ser um mero espectador do culto a Deus. O melhor do louvor sempre será o Cordeiro que foi morto, mas que ressuscitou e hoje vive no meio da sua igreja. Ele é alvo principal, nossas igrejas jamais devem perder isso de vista.

Estes foram apenas alguns possíveis problemas, meu maior desejo é que isso tudo venha a colaborar para uma reflexão sobre como anda o período de louvor em nossas igrejas, visando o crescimento e compreensão à luz das Escrituras. Que Deus continue derramando a sua graça sobre nós e nos dando direcionamento em tudo o que fizermos.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?