Porque devemos levar a diversão a sério

1

Gosto de me divertir, mas às vezes eu sinto um pouco de culpa nisso. Parece que eu estou gastando mal meu tempo, sabe?

Fico pensando: eu realmente deveria estar jogando ao invés de estar trabalhando em algo relevante? Tudo bem eu jogar video game ou estou apenas prolongando minha adolescência?

Nós, brasileiros em geral, nos orgulhamos da nossa longa carga horária de trabalho para receber nosso suado salário (quando os bancos permitem, obviamente).  Temos diversos livros e  conteúdos  que nos estimulam a lutar contra a preguiça o que torna a produtividade  quase uma obrigação moralmente ética. Mas se não pudermos encontrar uma maneira de desfrutar os prazeres simples dados por Deus, nossa vida seria resumida em trabalhar até a morte. 

Claro, todas as coisas boas podem ser abusadas. Mas o que se segue é uma tentativa de nos libertar da pressão de encontrar a identidade apenas em nosso trabalho. Isso pode nos tornar míopes ao ignorar as intenção de Deus relacionadas as brincadeiras, diversões e celebrações. Pode acreditar, Deus leva o tempo da diversão a sério. E nós devemos agir assim também. 

Como sabemos que Deus expressa isso? Simples, abrindo as escrituras:

Israel teve dias de alegria (Números 10:10), que incluiu celebrações de vitória e festas. O povo de Deus foi ordenado a celebrar por dias e dias durante a Festa das Semanas (que os gregos chamavam de Pentecostes) e a Festa dos Tabernáculos (Deuteronômio 16: 9-17).

Pense sobre isso. Os israelitas estavam sob ordem divina para comemorar e dar graças a Deus pela boa comida e bom vinho. Deus levou a felicidade tão a sério uma punição seria imposta pelo “serviço ao Senhor [seu] Deus com gozo e alegria de coração, por causa da abundância de todas as coisas” (Deuteronômio 28: 47-48). Mesmo a restauração do povo de Deus do exílio envolve riso, diversão e dança (Jeremias 30:19; 31: 4).

Na segunda vinda de Cristo, aqueles que nele creem vão desfrutar de um incrível banquete (Apocalipse 19: 6-10). E também não podemos esquecer que Deus criou o vinho como uma forma de alegria aos nossos corações (Salmo 104: 15). Se o melhor vinho da festa foi aquele transformado por Cristo no primeiro milagre, imagina como não será a safra servida nos céus e quão contente nossos corações estarão (aliás que festa será essa, hein?) 

Quando Davi trouxe a arca de Deus de volta a Jerusalém, ele estava “alegre diante do Senhor” (2 Samuel 6: 5, 21; 1 Crônicas 13: 8). Ele estava celebrando com toda sua força e foi uma forma de expressar sua adoração. Era certo e bom estar em festa diante de Deus.

Eclesiastes 3: 4 diz que há um tempo para chorar e tempo para rir. Ou seja, há um tempo para se divertir. Você pode não ter esse tempo agora,  mas precisamos entender que Deus dá a seu povo uma enorme liberdade para desfrutar horas de diversão. 

A alegria tem um propósito, ela nos aponta para Deus em adoração (Atos 14:16,17). Se Deus tanto fala sobre a diversão, Ele deseja que o seu povo se divirta, é preciso considerar a forma como pensamos sobre o divertimento. Se somos feitos a imagem de Deus e Ele demonstra se deleitar com brincadeiras puras e honestas, talvez não estamos levando a diversão a sério o suficiente.

Sim, trabalhe duro. Sim, seja responsável com o seu tempo. Mas o Deus que trabalhou seis dias também tirou o sétimo para descansar. O Deus que mantém o universo unido também criou nossos corpos para jogar nossos corações para serem feliz e nos divertimos. Aproveite 🙂 

Traduzido e adaptado por Mari Galindo. Original aqui

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?