Por que começar um relacionamento é tão complicado?

0

Dez dicas para um bom encontro. Três motivos para você dar uma pausa nos namoros. Cinco qualidades que você deve procurar em um cônjuge. Doze coisas que você está fazendo para sabotar seu relacionamento.

Tem dias que ser um cristão solteiro chega a ser cansativo. Existem muitos conselhos bem-intencionados feitos por autores, bloggers, pastores, professores e conselheiros amorosos. Sempre surge um novo blogspot, podcast, série, sermão ou livro para nos ajudar a aprender as chaves para o namoro “bíblico” e começar a fazer a coisa certa.

Me pergunto se qualquer geração antes da nossa teve tanta instrução como hoje em dia. E também me pergunto se qualquer geração antes da nossa esteve tão confusa acerca desse tema.

Embora os bons conselhos de pessoas de confiança sejam algo que devemos procurar em nossas vidas, como podemos delimitar a linha entre a sabedoria saudável e a análise excessiva? Encontrar alguém para casar é realmente tão complicado que os solteiros precisam ter um processo definido e explicado várias e várias vezes?

NÃO EXISTE UMA FORMULA

Na raiz de tudo, muitos de nós estão à procura de uma fórmula ou de um plano infalível. No fundo, nós esperamos garantir um ótimo relacionamento ou um casamento feliz com os passos corretos. E assim, nós olhamos para as estratégias envolvendo bons encontros/dicas para namoros com a intenção de apontar para relacionamentos mais satisfatórios.

O problema é que, quando somos consumidos com as seguidas fórmulas e séries de passo-a-passos, é fácil crescer em críticas e cinismo, avaliando as pessoas com um padrão que podemos acabar não seguindo. Se tornar tão preocupado com esse processo nos faz perder de vista a pessoa que está sentada a nossa frente na mesa. Nosso checklist mental se torna mais importante do que a perspectiva de aprender a apreciar alguém que nos deu a honra de dividir o seu tempo.

Nós também podemos cair na armadilha de acreditar que o fato de sermos solteiros indica uma deficiência da nossa parte. Grande parte dos conselhos que inundam os nossos feeds de notícias resulta de um pressuposto de que a nossa “solteirisse” significa que precisamos ter as nossas habilidades afinadas. Ficamos coçando a nossa cabeça, questionando se temos o que é necessário para perseguir um relacionamento significativo e se aquela “pessoa certa” poderia mesmo existir.

QUEBRANDO AS REGRAS

Talvez, ao invés de mais conselhos e mais dicas, o que mais precisamos é um lembrete que Deus nos criou para o relacionamento, seja romântico ou qualquer outra forma. Ele nos deu o bom desejo de conhecer e ser conhecido e nos criou para intimidade. Ele nos deu todas as ferramentas que precisamos para perseguir isso.

Talvez seja a hora de abandonar as regras para um namoro e abraçar a liberdade que surge quando entendemos que fomos feitos para isso. Os relacionamentos são parte da nossa própria natureza, nenhum manual de instruções é necessário. Desde o momento que Adão e Eva tiveram o primeiro vislumbre um do outro no Éden, os seres humanos têm descoberto o que significa dois se tornarem um.

Relacionamentos nem sempre são fáceis, uma lição que continuaremos aprendendo no casamento. Construir uma base de confiança e compromisso leva tempo e trabalho, mas é uma tarefa que Deus têm nos equipado exclusivamente para fazer. É um dom que Ele designou para os seres humanos, apesar das nossas falhas e nossos pecados.

Em vez de colocar tanta ênfase na forma de encontrar o par perfeito, aquele(a) que atenda os nossos requisitos, vamos nos perguntar se estamos preparados para mostrar à pessoa a escandalosa graça que Cristo nos mostrou. E, mesmo quando buscamos crescer espiritualmente e pessoalmente, podemos dar um suspiro de alivio ao saber que não somos responsáveis por “consertar” nós mesmos. Essa tarefa pertence a Cristo, conforme Ele trabalha em nossas vidas.

ABRAÇANDO O PROCESSO

Vamos nos libertar da noção de que existe um roteiro de sucesso relacional que precisamos seguir. As escrituras não nos oferecem uma formula e Deus não nos oferece uma garantia de que nossos relacionamentos sairão do jeito que queremos ou que teremos um relacionamento romântico em todos os momentos. Mas o que Ele nos oferece é uma garantia de que Ele nos deu a capacidade de amar e a promessa de que Ele está conosco no processo.

“Nós amamos porque ele nos amou primeiro.” (1 João 4.19)

Nós não precisamos de mais listas e mais regras para navegar no caminho para o casamento. Nós não precisamos desempenhar o papel de juiz em cada encontro ou questionar a nossa capacidade de atrair o sexo oposto. Nós temos tudo o que precisamos. Podemos fazer isso, na medida que nos apoiamos na graça e sabedoria de Deus.

Podemos casar um dia, assim como também podemos não casar. Mas Cristo pode usar essas experiências ao longo do caminho para nos moldar até sermos mais semelhantes a Ele. E, no fim do dia, esse deve ser o padrão real de sucesso que devemos buscar.

 

Traduzido e Adaptado por Gustavo Neves. Original aqui.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?