O jogo nosso de cada dia

0

 

Se você é um gamer ou um gamer cristão, você já deve ter pesquisado uma centena de artigos e até agora encontrou apenas publicações que falam o porque do seu jogo ser triste e patético, que você é imaturo, viciado em prazer e um viciado em dopamina. Você pode ter encontrado comparações com viciados em pornografia, uma vez que muitas mentes afetadas pela pornografia e pelo Playstation andam de mãos dadas. Não é isso que o artigos realmente dizem, mas com certeza você se sente assim. Gamers são um alvo fácil e muita gente faz fila para apontar problemas.

É claro que os jogos tem suas desvantagens. Não é como se os fãs de vídeo game não tenham conquistado um pouco dessa reputação. Os games existem nesse mundo e, afinal de contas, é apreciado por pessoas imperfeitas. Porém, eles não são mais apreciados que a redenção. Não mais do que podemos apreciar. Hoje, desejo oferecer alguns pontos simples sobre games e os gamers.

Antes de começar, preciso confessar: eu amo vídeo games. Pelo menos, eu amo alguns jogos de vídeo game. Eu os amava quando criança, na minha adolescência e eu os amo até hoje. Isso não quer dizer que jogo muito. Eu raramente coloco os jogos na minha lista de altas prioridades. Mas quando encontro tempo – geralmente naquela semana entre o Natal e o Ano Novo ou naquelas tardes preguiçosas nos finais de semana – aproveito para brincar. Eu me divirto. Poderia me juntar ao meu filho em alguma batalha pelo mundo. Poderia me sentar com a minha filha enquanto participamos de uma aventura ou desvendamos algum mistério. Ou poderia encontrar algum game para jogar sozinho. E faço isso sem vergonha e sem pesar.

Feita essa confissão, deixe-me falar com vocês sobre os altos e baixos dos vídeo games.

DESFRUTE DO ENTRETENIMENTO

Vamos ser honestos: existe pouco valor intrínseco nos jogos. Para a maioria de nós é apenas entretenimento. Mas isso não os torna ruins. O entretenimento é uma forma perfeitamente legítima de gastar o tempo, dinheiro e energia – de maneira razoável – e os jogos são uma forma perfeitamente legítima de entretenimento. Isso se torna verdade quando ela toma as últimas posições de preocupação da sua vida, logo atrás da família, trabalho, vizinhos e igreja.

O bom entretenimento é um dom que somos livres para desfrutar e não vejo nenhuma diferença substancial entre um jogo e assistir a um filme ou entre um jogo e ler um livro. Não é substancialmente diferente da pesca, do crochê e do golfe. Assim como eles, os games são tranquilos, divertidos, não é certo nem errado. Então desfrute do entretenimento que os jogos fornecem.

IGNORE OS MAUS JOGOS

Não podemos negar que alguns jogos são inadequados para qualquer pessoa, muito menos um cristãoHoje, mais do que nunca, uma abundância de jogos que se deleitam no derramamento de sangue, na violência sexual, na pornografia e profanação. Aqueles que se lembram dos escândalos envolvendo os jogos Leisure Suit Larry ou Phantasmagoria sabem que tais jogos são pitorescos pelos padrões de hoje.

Precisamos ignorar os maus jogos e devemos fazê-lo sem precisar condenar ou conscientizar as pessoas que jogam esses games. Felizmente, temos acesso a um sistema de avaliação minucioso e uma enorme coleção de sites de revisão que nos ajudam a nos afastar desses games. Olhe à sua volta e irá encontrar muitos games brilhantes e divertidos.

JOGUE COM LIBERDADE

Muitos jogos criam um sistema de recompensa para o cérebro humano – o mesmo sistema que pode nos levar a dependência. Mesmo quando os jogos não levam ao vicio, eles podem nos levar ao uso compulsivo ou a negligência das responsabilidades mais importantes. Essa características dos games é tanto a sua força quanto a sua fraqueza. Sem isso eles seriam chatos. Os efeitos do “só mais uma vez” ou “só mais uma missão” são parte da atração e da emoção de jogar um grande jogo.

Mas precisamos ter em mente que é necessário cuidado com jogos que podem impactar a nossa integridade, prioridades e auto controle – características de um cristão. Jogue com liberdade, a liberdade da moderação que vem através do caráter, maturidade e da consciência limpa.

JOGUE EM COMUNIDADE

Parte da diversão envolvendo os games é traduzida nas possibilidade de jogar com outras pessoas e hoje, mais do que nunca, os jogos são desenvolvidos com recursos multiplayer. Às vezes, isso envolve jogar com outra pessoa no mesmo console ou em consoles diferentes, ligados através da Internet.

De qualquer maneira, jogar em comunidade pode ser uma ótima atividade, especialmente entre membros da família. O meu filho e eu gostamos de nos desafiar. Desfrutamos desse tempo como uma experiência de pai e filho. Como eu disse anteriormente, eu e meu filho jogamos games de aventura ou mistério deitados no sofá ou nos juntamos as meninas para jogar Lego The Hobbit. Somos conhecidos por reunir toda a família para jogar Rock Band. Esses são bons momentos e boas lembranças.

ENCARE O DESAFIO

Eu sei que pode parecer bobagem querer construir um exército imaginário para invadir uma nação imaginária ou servir um prefeito fictício de uma cidade que só existe em uma tela. E com certeza, existe algo um pouco bobo nisso tudo. Mas cada um desses cenários representam um desafio e o desafio é o coração do jogo. Se o jogo envolve a resolução de quebra-cabeças, conquistar mundos ou completar uma aventura, grandes jogos nos fazem encarar situações difíceis e nos desafiam à superá-los. Isso é diversão!

Quando nossas vidas forem mundanas, esses desafios podem desencadear um senso de aventura e realização. Quando nossas vidas forem complexas, eles podem proporcionar um alívio bem-vindo. O desafio é o ponto. O desafio é a alegria.

Então eu digo isso: vá em frente e aproveite seus jogos. Desfrute os seus games. Se divirta explorando, conquistando, experimentando e vencendo. Jogue eles como um cristão e você ficará bem.

 

Traduzido e Adaptado por Gustavo Neves. Original aqui.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?