A melhor lição de vida que aprendi em uma festa

0

Desde pequena eu escutava a palavra “graça” com uma certa frequência dentro de casa, nas orações e na igreja. Eu não entendia muito bem o significado dessa palavra, mas eu a usava para deixar a oração mais bonita, “espiritual” e aquela coisa toda.

Quando eu descobri o significado dessa palavra, algo dentro de mim mudou drasticamente e por causa dela eu recebi o melhor convite da minha vida; um convite que mudou a minha vida, um convite para uma festa.

Lucas 14 conta a história dessa festa, antes mesmo que eu entendesse que estava sendo convidada para ela. Jesus estava comendo na casa de um fariseu importante e vendo que todos disputavam um lugar de honra à mesa, em uma competição sem sentido, Jesus diz:

Quando você der um banquete ou jantar, não convide seus amigos, irmãos ou parentes, nem seus vizinhos ricos; se o fizer, eles poderão também, por sua vez, convidá-lo, e assim você será recompensado. Mas, quando der um banquete, convide os pobres, os aleijados, os mancos e os cegos. Feliz será você, porque estes não têm como retribuir. A sua recompensa virá na ressurreição dos justos. (Lucas 14:15)

Alguns não entenderam o que Jesus estava falando naquele momento, mas um homem, percebendo a preciosidade e profundidade da fala de Jesus, comenta:“Feliz será aquele que comer no banquete do Reino de Deus”.

Não sei o que se passava na cabeça desse homem ao dizer essas palavras, mas tenho certeza que ele não imaginava o impacto e a profundidade delas. Vendo que o homem começava a entender o que ele estava dizendo, Jesus começou a contar uma parábola.

Ele constantemente usava parábolas para ilustrar verdades divinas. As parábolas nos mostram uma parte do caráter de Deus, cuidado. Quantas vezes você já se pegou lendo um texto imenso e denso que te faz voltar a um mesmo parágrafo dezenas de vezes apenas para conseguir entender ao que ele estava se referindo? Quando leio esse tipo de texto, no dia seguinte já me esqueço do que eu li.

Acontece que Deus é fofo. Ele usava histórias assim para que lembrássemos facilmente, com personagens fortes e mensagens que ficam gravadas no coração. Como um pai que está explicando algo para o seu filho. Mesmo com histórias fáceis, a profundidade das palavras de Jesus impactavam a vida de milhares de pessoas.

Jesus então começa a contar uma parábola que viria a mudar a vida daqueles que a entendessem.

Um homem rico estava oferecendo uma grande festa para os seus amigos. Tudo estava pronto, comidas bebidas, música, enfeites… O convite já tinha sido feito há tempo, mas quando chegou a hora, mandou seu servo lembrar aos convidados dizendo: “Venham, tudo ficou pronto! A festa está preparada e esperando por vocês!
– Mas eles, um por um, começaram a dar desculpas.
O servo foi na casa de um homem bateu na porta e disse vamos depressa a festa está pronta! Mas o homem respondeu. -“Comprei um terreno e tenho de dar uma olhada nele, não poderei ir na festa. Peço que me desculpe. ” E dizendo isto fechou a porta. O servo ficou triste e continuou chamando as pessoas que tinham sido convidadas.
Chegou à casa de outro homem e disse: – Meu senhor já preparou o delicioso banquete e vim pessoalmente para lembrá-lo do convite.O segundo homem respondeu:
-“Comprei cinco juntas de bois e preciso ver se trabalham bem. Peço que me desculpe, pois estou muito ocupado.” E dizendo isto continuou com o seu trabalho.
O servo pegou a lista do convite e continuou perseverante no propósito de chamar os convidados. Chegou à casa de outro homem e com entusiasmo disse: – O dia da grande festa que meu Senhor organizou chegou. Está tudo pronto, e ele deseja muito vê-lo no banquete! Vamos? O homem respondeu: – “Acabei de casar e por isso não posso ir.”
O servo entristecido continuou indo de casa em casa, daqueles que tinham sido convidados. Mas todos tinham desculpas e não foram na festa do senhor.

Achou algo estranho nesse texto? Por acaso alguém compra um terreno sem antes olhar como ele é? Alguém compra cinco juntas de bois sem antes ver se os bois trabalham bem juntos ou não são mancos? Em uma vila tão pequena, sem Facebook e Whatsapp, será que seria possível alguém se casar sem que os outros soubessem?

Jesus usou esses exemplos sem sentido para mostrar o quanto é absurdo essas pessoas estarem recusando a festa preparada. Afinal, ninguém recusa uma grande festa com comida à vontade. Mas o mais louco disso tudo – e o que Jesus estava querendo mostrar – é que essa não era uma festa qualquer.

Era uma festa preparada por Deus.

O empregado voltou e contou tudo ao patrão. Ele ficou muito bravo e disse: “Vá depressa pelas ruas e pelos becos da cidade e traga os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos.”
O empregado saiu prontamente para fazer o que o amo tinha pedido. Logo as pessoas começaram a entrar na festa. Mais tarde o empregado disse: “Patrão, já fiz o que o senhor mandou, mas ainda está sobrando lugar.” – Aí o patrão respondeu: “Então vá pelas estradas e pelos caminhos e obrigue os que você encontrar ali a virem, a fim de que a minha casa fique cheia”. Qualquer pessoa que aceite o meu convite poderá desfrutar da minha festa.

Nesse texto conseguimos ver dois personagens principais, o senhor e seu empregado. Ou, melhor dizendo, Deus e Jesus. Ah! Nós estamos nessa parábola também, sabia? Estamos incluídos no grupo dos “pobres, mancos, aleijados, cegos e coxos”. Estávamos perdidos pelas estradas e vielas, sem nada de valor que pudéssemos nos apegar. Por não termos nada material a que nos apegar, recebemos o melhor convite de todos.

Uma coisa é curiosa no texto. Quando li pela primeiro vez o expressão “obrigue-os a entrar” eu fiquei um pouco confusa. Como um Deus amoroso pode obrigar alguém a fazer algo? Poder ele tem, mas porque ele faria isso?

O que Deus pediu para Jesus nessa situação foi “pegue-os pelo braço, encoraje-os a vir”. Na cultura da época em que Jesus conta essa parábola, quando havia alguma festa ou alguma comemoração, os convidados deveriam esperar por uma confirmação do convite. Os pobres, mancos e aleijados sabiam que não deveriam ir a essas festas, eles eram a parte excluída da população, ficavam separados da sociedade. Por isso, quando o convite foi feito, a maioria deles não deu muita importância a isso (na verdade eles não acreditaram que estavam sendo convidados de verdade!), já que eles nunca participavam desse tipo de evento.

Entendeu agora a importância de tudo isso? Deus pede para que Jesus RESGATE-OS, INSISTA. Procure-os nos lugares mais sujos e escondidos e traga-os para uma festa que vai  mudar suas vidas.

Isso é graça.

Jesus nos resgatou e separou um lugar para nós em sua mesa, em sua festa. Ele nos ama.

O Reino de Deus é um Reino de graça e quem sente sua vida plena não terá lugar no Reino de Deus. Os primeiros convidados sentiam que suas vidas estavam preenchidas e que haviam coisas mais importantes a se fazer do que participar de uma festa. Essas pessoas estavam tão cegas, que tudo me leva a crer que se elas fossem para a festa, elas poderiam se sentar com o próprio Rei e não saber.

A festa da qual a parábola se refere é a festa do Reino de Deus, citada em Isaías 25:6-8

Neste monte o Senhor dos Exércitos preparará um farto banquete para todos os povos, um banquete de vinho envelhecido, com carnes suculentas e o melhor vinho. Neste monte ele destruirá o véu que envolve todos os povos, a cortina que cobre todas as nações; destruirá a morte para sempre. O Soberano Senhor enxugará as lágrimas de todo o rosto e retirará de toda a terra a zombaria do seu povo. Foi o Senhor quem disse!

Quando entendi o significado dessa parábola eu fiquei com vontade de sair gritando para todo mundo. No entanto, apesar de entender a profundidade disso tudo, a maioria das pessoas não entende.

Porque Deus ia me querer na festa dele? Não tenho nada a oferecer.

Justamente por causa disso. Jesus não veio para aqueles que sentem suas vidas plenas, Ele veio para aqueles que tem espaço sobrando em suas vidas, e se deixam ser completamente preenchidos por Ele. O Reino de Deus é um Reino de graça.

Jesus não pede para que primeiro a gente troque de roupa, tome um banho e arrume tudo o que está errado em sua vida antes de aparecer na festa. Ele pede para que a gente vá sem banho, com a roupa que estamos e com os nossos erros de estimação. Ele quer te limpar, te dar roupas novas, enxugar suas lágrimas e transformar a sua vida da forma mais graciosa que você possa imaginar.

Existe uma festa esperando por nós e existe alguém insistindo para que participemos dela. Ele saiu de seu trono de glória para nos buscar nos lugares mais sujos e distantes, para que possamos experimentar um banquete de graça que não dura apenas uma noite. Mas a eternidade.

 

Escrito por Maitê Leal.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?