O homem que amava as mulheres

Special Edition Woman

14

Vivemos em uma sociedade separada por machismo/feminismo. Pode ser que você não seja adepta de nenhum movimento com relação a esses debates, mas certamente já participou de alguma roda de discussão sobre como as mulheres são menosprezadas e desvalorizadas na sociedade.

Talvez você não tenha ideias radicais quanto a isso, mas é nítido em diversos aspectos o quanto a mulher ainda é vista como sexo frágil.

Frases afiadas como “você corre como uma menininha”, ou “mulher não sabe dirigir” permeiam o nosso dia a dia e hoje cada vez mais empresas e iniciativas tentam acabar com essa percepção. Ok, ok… mas aqui estamos falando sobre o que nós, humanos, que vivemos em uma sociedade toda corrompida, acreditamos, falamos e pensamos. O objetivo aqui não é debater sobre feminismo e movimentos de igualdade de gênero.

Mas o que Deus pensa sobre nós? O que Deus pensa sobre as mulheres?

Ligamos o noticiário e vemos agressões das mais diversas formas, tanto físicas como verbais. Ainda há uma parcela de mulheres que conhecem além dos noticiários essa realidade e, por isso, tendemos a comparar Jesus com os homens da nossa sociedade ou com os que vivem em nossa casa.

Dificilmente você imaginaria Jesus batendo, agredindo ou assediando uma mulher, não é isso que eu estou dizendo. Também não estou dizendo que todos os homens são iguais. O que estou dizendo é que temos a tendência de achar que Deus nos dá menos importância por sermos mulheres e que Deus tem um plano especial para os homens. Afinal, os grandes homens que tiveram papel importante na bíblia eram… homens?

Na época de Jesus, as mulheres eram vistas como sedutoras sexuais e como “portas para o pecado”. Elas não podiam conversar com homens em público nem se misturar em reuniões sociais. Os homens tinham liberdade de trocar de mulher como um objeto descartável e quando isso acontecia, elas se tornavam sombras da sociedade, como escravas.

Como tudo isso aconteceu? De onde veio essa ideia? Difícil acreditar que isso estava nos planos de Deus. Essa diminuição e empoderamento do homem se deu, como todos os outros pecados, por conta da queda. Sharon Jaynes traz uma reflexão incrível em seu livro “Jesus e as Mulheres”: ela diz que Deus não criou Adão e Eva ao mesmo tempo porque tinha o objetivo de mostrar para Adão a importância de Eva.

“Esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada mulher, porque do homem foi tirada. Gênesis 2.23
Que linda reprodução das palavras de Jesus: “O seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem” (Mt 6.8).
Sim, Deus conhece nossas necessidades e, em geral, antes mesmo de nos concedê-las, espera que as entendamos. Se ele tivesse criado Adão e Eva ao mesmo tempo, Adão jamais saberia quanto necessitava dela. Eva foi “o toque final da obra-prima de Deus e a inspiração para a primeira poesia do homem”.3 Não foi um pensamento tardio, mas o grand finale divino. A mulher foi criada para completar o retrato de alguém feito à imagem de Deus. O homem não poderia fazer isso sozinho. A mulher não poderia fazer isso sozinha. Ambos foram necessários — trabalhando, servindo e vivendo em harmonia para completar o quadro que Deus sempre teve em mente.”

O que Jesus tem a ver com as mulheres? Comigo? Ele vê beleza e poesia em mim e em você. Ele recupera as mulheres da sombra da sociedade, e lhes dá de volta integridade, carinho e dignidade. Jesus inaugura uma nova forma de viver: homens e mulheres juntos, ambos trabalhando e servindo o reino.

Ele não ficou passivo diante das humilhações. Ele se posicionou e lutou contra a marginalização da mulher.

“Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos e disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério. Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz? ”
Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo. Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo.
Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.
Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão.
Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando com os mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele.
Então Jesus pôs-se de pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou? Ninguém, Senhor, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”.
(João 8:3-11)

“Convidado por um dos fariseus para jantar, Jesus foi à casa dele e reclinou-se à mesa.Ao saber que Jesus estava comendo na casa do fariseu, certa mulher daquela cidade, uma ‘pecadora’, trouxe um frasco de alabastro com perfume, e se colocou atrás de Jesus, a seus pés. Chorando, começou a molhar-lhe os pés com as suas lágrimas. Depois os enxugou com seus cabelos, beijou-os e os ungiu com o perfume. Ao ver isso, o fariseu que o havia convidado disse a si mesmo: “Se este homem fosse profeta, saberia quem nele está tocando e que tipo de mulher ela é: uma ‘pecadora’ “.
Respondeu-lhe Jesus: “Simão, tenho algo a lhe dizer”. “Dize, Mestre”, disse ele.
“Dois homens deviam a certo credor. Um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinqüenta. Nenhum dos dois tinha com que lhe pagar, por isso perdoou a dívida a ambos. Qual deles o amará mais? ”
Simão respondeu: “Suponho que aquele a quem foi perdoada a dívida maior”. “Você julgou bem”, disse Jesus. Em seguida, virou-se para a mulher e disse a Simão: “Vê esta mulher? Entrei em sua casa, mas você não me deu água para lavar os pés; ela, porém, molhou os meus pés com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos.
Você não me saudou com um beijo, mas esta mulher, desde que entrei aqui, não parou de beijar os meus pés. Você não ungiu a minha cabeça com óleo, mas ela derramou perfume nos meus pés.
Portanto, eu lhe digo, os muitos pecados dela lhe foram perdoados, pelo que ela amou muito. Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama”.
Então Jesus disse a ela: “Seus pecados estão perdoados”.
(Lucas 7:36-48)

Essas são apenas duas histórias em que Jesus demonstrou o seu amor por mulheres invalidadas pela sociedade. Talvez essas histórias não façam tanto sentido para você, afinal, vivemos em uma sociedade completamente diferente, mas Jesus quebrou uma quantidade imensa de padrões sociais e religiosos para transformar a vida das mulheres que Ele encontrou naquela época.

Você já deve ter lido a história do encontro de Jesus com a Samaritana no poço. O versículo 4 do capítulo 4 de João conta que “Era-lhe necessário passar por Samaria”. Por quê? Jesus QUERIA ter um encontro com aquela mulher. Jesus tinha uma agenda cheia, com certeza, Ele tinha coisas importantes do reino para fazer aqui na terra, mas naquele momento Ele não considerava nada mais importante do que seu encontro com aquela moça.

Jesus veio para nos trazer liberdade. Nós não somos menos importantes para Ele do que aquela samaritana no poço era. Não somos a segunda escolha Dele.

Todas que passaram pelo caminho dele, seja com uma conversa ou mesmo com um toque, tiveram suas vidas transformadas pelo amor e graça Dele. E sabe o que é mais incrível? Não precisamos mais mendigar amor, porque ELE próprio, que É O AMOR, nos AMA INCONDICIONALMENTE.

Se deixe ser cuidada por aquele que vê poesia em você.

 

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?