O Evangelho segundo Pixar

1

Para muitos de nós, os filmes da Pixar representam a base da nossa infância. O estúdio produz obras-primas de entretenimento animado há mais de 20 anos.

Em junho de 2015 o filme “O Bom Dinossauro” estreou nos cinemas com sucesso de bilheterias, e as chances de muitos de nós termos assistido, no cinema ou não, são muitas, mesmo se não temos crianças em casa.

Como todo filme da Pixar até hoje, “O Bom Dinossauro” une efeitos visuais impressionantes com o poder da boa narrativa.

Boas histórias são desenhadas a partir de temas familiares e de arcos que fazem com que todo o público se conecte com facilidade, mesmo que não sejam necessariamente o “público-alvo”. Boas histórias apontam para verdades além da própria história.

Filmes da Pixar tocam nossos corações porque exploram verdades profundas.

Como você já deve saber, o portfólio de filmes da Pixar oferece muitas mensagens espirituais que podemos identificar. Infelizmente, não podemos olhar para todos eles. Então, aqui estão quatro exemplos de filmes recentes:

TOY STORY

É o filme da Pixar que deu início a tudo.

Woody é o brinquedo favorito de Andy, que fez dele o líder dos brinquedos da casa. Então, quando Andy recebe um brinquedo novo, Buzz Lightyear, o mundo inteiro de Woody vira de cabeça para baixo. Ao longo do filme, Woody deve aprender a aceitar o que significa ser um líder.

Quando Woody e Buzz se perdem e se separam de todos, inclusive do Andy, cabe a Woody coordenar o retorno. No início, suas motivações são puramente egoístas: Ele precisa do Buzz para arrumar a confusão que ele mesmo (Woody) causou. Mas, durante a jornada, Woody percebe que ele não precisa ser o favorito para ser um líder eficaz.

A Bíblia tem muito a dizer sobre liderança, e isso é elucidado muito bem com o que vemos representado na história de Woody.

Em Filipenses 2: 3, o apóstolo Paulo escreve: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.”

E Lucas 22:26 diz: ” Mas, vocês não serão assim. Pelo contrário, o maior entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa como o que serve.”

OS INCRÍVEIS

Ser cristão nos dias de hoje às vezes é como ter uma identidade secreta. Eu vivo em uma parte muito agnóstica da América, por exemplo, e falar abertamente sobre a fé pode parecer intimidador.

Contudo, não temos super poderes (que eu saiba). Mas se você se lembra, em “Os Incríveis” , as pessoas que possuem poderes são pressionados pelo mundo para esconder suas identidades e se tornarem “normais”.

Porém, normal não é o suficiente para o Sr. Incrível. Ele tenta ter a viver a vida de forma “normal” e se sente insatisfeito. Ele ainda age em segredo, porque ele se sente sufocado.

Em última análise, os super-heróis deste filme sabem que, o que os torna especiais não é algo que eles tenham que se afastar.

Sabemos que somos chamados a viver no mundo, mas não sermos parte dele. Então, querer ser “normal” não deve fazer parte do vocabulário de um crente. Em vez disso, devemos deixar que o que nos torna especial influencie a forma de quem somos como pessoas.

Como foi isso para os nossos heróis? Bem, Violet, a filha mais nova, aprende a deixar seus poderes brilharem através de sua personalidade, e ela consegue coragem para falar abertamente com o cara que ela gosta (sobre seu super poder). Flecha, irmão de Violet, ainda tem a oportunidade de usar seus poderes em competições nas pistas.

Agora imagine o que podemos fazer quando revelamos nossas novas identidades em Cristo para as pessoas ao nosso redor.

WALL-E

Para um filme para crianças, WALL-E é bastante sombrio, pelo menos no início. A história começa 800 anos no futuro, depois que os humanos deixaram a Terra devido à poluição maciça. Tudo foi deixado para trás, incluindo um robô de limpeza chamado WALL-E. O robô se apaixona por outro robô sonda chamada EVE, e a partir daí, o filme nos conta a história de amor entre eles.

Mesmo que EVE rejeite-o ativamente quando se encontram, WALL-E prossegue incansavelmente. Ele deixa mensagens e símbolos de seu amor diariamente, mas ela não os relaciona totalmente com WALL-E, até que ela literalmente atinge o fundo do poço durante suas tentativas de encontrar vida vegetal em um deserto estéril.

Em certo momento, EVE é levada para outra galáxia, mas isso não impede WALL-E  de ir atrás dela.

Quando eu assisti pela primeira vez o filme WALL-E, eu não consegui deixar de vincular a verdade do amor incondicional nas ações de Wall-E. O rôbo não é realmente um personagem salvador, mas sua busca pelo amor de EVE reflete como Deus ilustra o Seu amor por nós, mesmo quando não percebemos isso. Não importa o quanto nós tentamos ignorá-lo, Deus encontra maneiras de mostrar o seu amor.

DIVERTIDA MENTE

Divertida Mente conta a história de uma jovem chamada Riley, e das suas emoções (personificadas). Eles fazem suas decisões e usam suas memórias para influenciar o estado emocional de Riley. Das emoções, conhecemos Alegria, Tristeza, Nojo, Medo e Raiva.  A Alegria é quem dá as cartas, mas ela tem dificuldade em saber o que fazer com a Tristeza.

Durante todo o filme, parece que a Alegria adoraria se a Tristeza decidisse ir embora para sempre. Ela não entende o lugar que a Tristeza tem na vida de Riley, mas como você verá no filme, a Tristeza desempenha um papel muito importante.

Da mesma forma, a alegria pode e deve fazer parte da vida de cada cristão, mas a meta para os cristãos não é buscar sempre os prazeres e as alegrias passageiras da vida. Isso é Hedonismo. Em vez disso, os cristãos devem ter suas ações guiadas em Cristo, para que possamos experimentar um conjunto completo de emoções, a fim de realizar o propósito de Deus em nossas vidas.

Por exemplo, Tiago 5:13 diz: “Entre vocês há alguém que está sofrendo? Que ele ore. Há alguém que se sente feliz? Que ele cante louvores.”

Observe que o autor não diz para fingirmos que o sofrimento não existe. Indo mais longe, há exemplos de Deus realmente usando a tristeza para enriquecer as nossas vidas, como em I Pedro 5:10, onde Paulo diz: “O Deus de toda a graça, que os chamou para a sua glória eterna em Cristo Jesus, depois de terem sofrido durante pouco de tempo, os restaurará, os confirmará, lhes dará forças e os porá sobre firmes alicerces.”

Divertida Mente mostra a montanha-russa emocional de alguém atravessando a puberdade, obviamente, o exemplo da fase mais tumultuada da vida que alguém poderia pensar. Mas qualquer que sejam as circunstâncias que estamos passando, e tudo o que sentimos durante elas, Deus usa os nossos pontos baixos para nos tornar muito maiores aos Seus olhos.

 

Os filmes da Pixar podem servir de ilustrações incomuns dos preceitos do cristianismo, mas  devem ser vistas apenas como obras de arte que atingem verdades profundas e que podem desafiar nossa fé. E que, durante esse processo, nos trazem muita diversão.

 

Traduzindo e Adaptado por Gustavo Neves. Original aqui.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?