Igrejas centradas nos Atrativos versus Igrejas centradas no Evangelho

2

Fiz algumas reflexões sobre as características essenciais que definem o modelo de igreja que vou chamar de “atrativas”, seguido por algumas marcas de igrejas centradas no evangelho. Espero que elas tragam mais clareza, para pensarmos nas questões relevantes sobre a igreja evangélica nos dias de hoje:

Características de igrejas centradas nos atrativos:

1) Sermões impulsionadas por aquilo que Christian Smith chama de “Deísmo Terapêutico Moralista”. Em resumo essa visão acredita que: Deus criou o mundo; Deus quer que sejamos bons, educados e justos uns com os outros, como todas as religiões ensinam; O objetivo central da vida é estar em paz consigo mesmo; Deus não precisa estar envolvido com ninguém, exceto quando a situação for muito aflitiva; Todas as pessoas boas vão para o céu.

2) Uma ideologia funcional do pragmatismo (Não é “o que é bíblico?”, Mas “o que funciona?”);

3) Dividindo ou rebaixando o evangelho/reflexão tardia;

4) A equação de grandeza com sucesso, ao contrário dos inúmeros exemplos bíblicos;

5) Trata os membros exclusivamente ou principalmente como um meio de voluntários;

6) Possui a porta dos fundos aberta para aqueles que necessitam de discipulado;

7) Reduz a Bíblia para apenas uma fonte de boas citações;

8) Alega a relevância e inovação através do isolamento dos desafios críticos originados por suposições.

 

Características de igrejas centradas no evangelho:

1) Confiança não apenas na autoridade das Escrituras, mas na suficiência das Escrituras;

2) Mensagens que enfatizam o “Está consumado!” e “vamos ao trabalho!”. Jesus é a estrela, não um coadjuvante;

3) Adesão significativa à abrangência do discipulado integral, cuidado pastoral e disciplina da igreja;

4) Ênfase em membros como missionários, enfatizando o “vá e conte” e não o “venha e veja”;

5) Uma total confiança no evangelho de ser o poder de transformação que nenhuma outra fonte de inspiração pode ser;

6) O compromisso regular com a Ceia do Senhor;

7) A dependência da intensa disposição do evangelho para aplicar para o crente, a justificação e santificação;

8) Uma comunidade de santos e não apenas um serviço de culto ou Centro de Eventos.

 

 

Texto traduzido e adaptado por Paulo Neitzke. Original aqui.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?