Série Cristãos Invisíveis // #03 Epice

0

Enquanto alguns estampam a cruz no peito, outros acreditam que o melhor lugar seja sobre os ombros, e carregam de forma silenciosa e criativa. Através de movimentos, plataformas e business, levam o cristianismo em forma de valores sólidos. E é exatamente isso que queremos mostrar na nossa série Cristãos Invisíveis  – iniciativas lideradas por cristãos.

Existe uma divisão gnóstica sobre o sagrado e o profano, que embora seja do século passado ainda permeia o cristianismo nos dias de hoje, a ideia de quem trabalha dentro das quatro paredes da igreja agrada mais a Deus do que quem serve a Cristo em outras esferas da sociedade, também é ponto de interrogação na mente de muitos cristãos. E é exatamente isso que queremos desmistificar na nossa série Cristãos Invisíveis – iniciativas lideradas por cristãos.

Enquanto nossa imagem perante a mídia e a sociedade anda bem rabiscada, essas iniciativas são elogiadas e envolvem cada vez mais pessoas ao compartilharem ações, conhecimento e intenções que fortalecem desejos comuns ao invés de contra atacarem os que pensam diferente de nós. E é exatamente isso que queremos divulgar na nossa série Cristãos Invisíveis – iniciativas lideradas por cristãos.

No fim, você vai perceber que em todas as publicações da série a pergunta: Como você enxerga o evangelho aplicado no seu projeto? se repete, afinal essa foi nossa principal intenção – expor o evangelho que existe por trás da causa.

Além de acompanhar as postagens, você também pode sugerir projetos através nosso contato 🙂


#03 // Cristãos Invisíveis, post de hoje:

Epice

epice2Foto de Tadeu Brunelli

A maneira como lido com as pessoas e o entendo essa responsabilidade social são maneiras simples e práticas de aplicar o evangelho no nosso trabalho.

 

Fundador: Alberto Landgraf

Sobre o restaurante:  a cozinha naturalista-contemporânea do Epice é dedicada à pureza do sabor do ingrediente e inspirada unicamente nos produtos disponíveis, respeitando o tempo da natureza e a sazonalidade do alimento. Para eles, as pessoas que pescam, plantam, colhem, transportam, armazenam e vendem são tão importantes quanto os cozinheiros do restaurante.

 A inovação vai além da criatividade na cozinha e busca tratar, de maneira responsável, todo o ciclo do alimento: da plantação, na relação com o produtor, ao descarte, com soluções alternativas de transformação das sobras em adubo orgânico. O Epice acredita no potencial social da gastronomia e apóia projetos como a Associação Prato Cheio, Gastromotiva, Retratos do Gosto e Associação dos Profissionais de Cozinha (APC).

É misturando sabor, criatividade e responsabilidade social e ambiental que o Epice se apresenta aos mais diversos paladares. Inaugurado em 2011, na região dos Jardins, em São Paulo pelo chef Alberto Landgraf, considerado o melhor jovem chef da America Latina, pela revista britânica Four, uma das publicações mais respeitadas na área de gastronomia no mundo.

Desde a inauguração o restaurante vem conquistando clientes, seja pela sua proposta de repensar o conceito de menu executivo ou pela simpatia e qualidade do serviço dos colaboradores (quesito fundamental para Alberto). O restaurante se enquadra na linha sofisticado, o próprio Chef afirma que o jantar é caro – sem hipocrisia, mas no almoço servem um bom custo benefício, prato caprichado por um preço acessível a região, e é justamente aí que ele se reinventa.

A inovação nas técnicas de preparo bem como o talento do Chef já lhe garantiu prêmios como: 1 Estrela Michelin, 2015 pelo Guia Michelin Rio de Janeiro & São Paulo; Melhor Restaurante Contemporâneo em 2015 pela Revista Época SP; 21º Melhor Restaurante da América latina, em 2013 pelo The Daily Me e Chef do Ano 2013, pela Folha de São Paulo. Além de assinar uma linha de temperos à base de vinagre lançada pela Retratos do Gosto, comercializado no mercadinho Dalvo e Dito de Alex Atala. 

LOCAL: EPICE ENDEREÇO: Rua Haddock Lobo, 1002, Cerqueira César TEL.: 3062-0866 São dois menus executivos que precisam ser fotografados completos. Todos os pratos devem estar em foco. As fotos podem ser feitas de cima e criar espaço para titulo e texto de um abre de página dupla. Também faremos uma versão com o chef Alberto Landgraf dando acabamento a um dos prato. Seria bacana ter os três pratos em cima de uma mesa e o chef atrás dando acabamento a um deles. É importante ter uma versão horizontal dessa foto para o abre. Essa foto versão vertical pode ser usada para a capa. Menus: 1. Salada alface romana, rabanete, abobrinha crua marinada, picles de cebola roxa e de cenoura, vinagrete de cogumelo e queijo de cabra frito, lombo de porco com angu de fubá branco e com quiabo, torta de chocolate com sorvete de leite 2. Abobrinha grelhada emulsão de mostarda com maionese e vinagrete de barriga de porco curada, brioche grelhado com patê de foie gras chutney de cebola-roxa, cogumelos salteada na manteiga e um ovo perfeito de gema molinha, sorbet de pera. Além dos dois conjunto completo, por favor, fazer os dois pratos principais separadamente.

                                                                                       Foto: Ligia Skowrosnki

Não é só pela dedicação na cozinha que Alberto se destaca, sua simpatia pode ser conferida dentro e fora das paredes do Epice, reforçando que sua postura não é um posicionamento de marca e sim traços do seu caráter. Quando se trata de aplicar os principios bíblicos na gestão do seu negócio, toda sofisticação é trocada por maneiras simples e práticas, como você pode conferir na resposta que ele nos deu para a pergunta principal dessa série:

 

 

Como ele enxerga o evangelho aplicado no Epice?

De uma maneira bem simples e direta, acredito que é na maneira de tratar as pessoas, de entender que todo mundo é igual, na maneira de entender que nós temos uma responsabilidade como empresa, não só com o resultado financeiro, mas com a influência que essa empresa tem no campo de atuação dela, no meu caso alimentos,  no meio e no momento que passa o mundo. Então acho que toda essa responsabilidade, desde usar alimentos orgânicos, sustentabilidade, apoiar o pequeno produtor e enxergar coisas relevantes que faz o nosso mundo melhor – coisas que estão em falta no nosso mundo hoje – são maneiras diretas de aplicar o Evangelho no nosso trabalho. Uma coisa muito importante pra mim é ter uma equipe harmoniosa e uma maneira igual de trabalhar,  não gosto da hierarquia aqui no restaurante, nós temos uma gestão mais horizontal, ou seja,  independente de função, de onde veio e do background, todos somos iguais, todos comemos no mesmo horário, usamos a mesma roupa e  temos deveres e funções. Resumindo, a maneira como lido com as pessoas e o entendo essa responsabilidade social são maneiras simples e práticas de aplicar o evangelho no nosso trabalho.  Alberto Landgraf

 

Hoje, no Brasil, vivemos uma carência de boas referências, e isso vale para o meio evangélico também. É muito comum ver manchetes sobre pastores que roubam o dízimo, usam situações de vulnerabilidade emocional para extorquir pessoas, ou cristãos que exploram pessoas e ambientes para se beneficiarem, porém isso é uma parte e não o todo. O objetivo dessa série não é colocar os cristãos em um pedestal, mas apresentar um lado positivo que fica invisível aos olhos públicos a medida que lembramos, através de bons exemplos, como os cristãos devem agir. Afinal antes de querer provar que Deus existe, deveríamos ser a prova que Ele existe para que o grito dos maus não prevaleça.

Nesse post nossa intenção é mostrar que tanto as pessoas quanto os recursos dados por Deus, não são apenas para benefício próprio, mas para um relação de troca, que envolve respeito e cuidado. É lembrar que somos um meio e não um fim em nós mesmos.

 

al1

epice3

prato1Foto: Alexandra Forbes

 

 

 

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?