Confissões de um pastor em depressão

0

É hora (aliás, já passou da hora) da igreja abordar assuntos sobre saúde mental.

Eu sou pastor, e luto contra a depressão.

Eu sei que você está pensando que estou querendo dizer como cristão, certamente não como pastor. Mas a verdade é que eu tenho lutado por dentro e por fora com a depressão por muito tempo, desde que eu me lembro.  O problema é que eu cresci numa igreja onde não se falava sobre saúde mental e questões como a depressão. O resultado consequentemente, foi uma grande confusão sobre o que é a depressão e o que não é.

Para todos nós que sempre nos encontramos em momentos de dor e escuridão em alguma fase, a retórica é clara: os verdadeiros Cristãos são felizes.

Em algumas horas comecei a me questionar se a minha fé era real. “Eu estou fazendo errado? Eu sou defeituoso? Será que eu não entendi a salvação? Será que estou deixando de seguir Jesus no meio do caminho?”. Outras horas isso me deixou solitário e confuso, como um doente dentro do armário com medo de assumir minha condição e sair contagiando os outros. Só nesses últimos anos pude perceber o quão comum é a minha doença. Olhe só essas estatísticas:

Vamos aos números

  • Em 2010, mais de 253 milhões de prescrições médicas foram escritas para antidepressivos nos Estados Unidos. (Para te ajudar na perspectiva, são ao todo nos EUA, 351 milhões de pessoas)
  • No Brasil, foram 53,3 milhões de caixas desses medicamentos consumidas no Brasil entre setembro de 2014 e outubro de 2015.
  • O número de pessoas diagnosticadas com depressão cresce 30% a cada ano.
  • Em 2013 alguém cometia suicídio a cada 12,8 minutos. E para cada “sucesso”, existem mais de 100 tentativas.
  • Na Espanha e em Portugal, por exemplo, a prescrição de antidepressivos saltou mais de 20% nos últimos cinco anos.
  • Depressão é uma doença extremamente séria, a qual a igreja não pode mais ignorar.

 

Eu fiz parte de diferentes tipos de igreja em toda a minha vida – Presbiterianas, Batistas tradicionais, Evangelho liberal, algumas sem denominação, e você pode nomear outras. Em todas as minhas experiências, eu não consigo lembrar em nenhum momento uma que tratasse o tema depressão diretamente da plataforma.

No inicio desse ano, quando eu me preparava para ensinar uma série sobre depressão, eu lutei muito para encontrar igrejas em qualquer lugar, que já tinham enfrentado o assunto de frente.

Amigos, isso precisa mudar. Por que? Porque existem pessoas nas igrejas toda semana, sofrendo. E se nós não começarmos a dialogar sobre o assunto nas nossas igrejas, temos grandes chances de ter pessoas sofrendo sozinhas.

A verdade é que ainda permanece muita confusão sobre a depressão. Se nós não abordarmos isso, pessoas continuarão sem entender. E quando não há entendimento, fazemos as coisas muito pior.

É hora de a igreja dar um passo a frente. Se você está lutando com a depressão ou conhece outros que lutem, eu espero que você tire um tempo para entregar essas duas mensagens a eles.  Se você é um pastor, eu imploro para que você quebre o silêncio e ajude as pessoas da sua comunidade a entender melhor e amorosamente reagir a essa questão muito real. (Se você não se sentir confortável ensinando isso, vamos conversar. Eu ficarei feliz em te ajudar de alguma forma.)

Para todos que estão lutando contra a depressão, como eu, por favor saiba disso:

Você não está sozinho

 Os números mais consistentes que eu encontrei, estimam que isso é sobre mais de 120 milhões de pessoas ao redor do mundo lutando contra a depressão e ansiedade. Eles são pais, mães, filhos, filhas, doutores, advogados, professores, empresários, e sim, até pastores, lutando como você. Nunca compre a mentira que você está sozinho nessa.

Sua fé não está quebrada

 A história está cheia de homens e mulheres de fé extraordinários que lutaram contra a depressão e ansiedade. Charles Spurgeon, Martin Luther, Madre Theresa – cada um teve “noites escuras na alma” em suas caminhadas.

A bíblia em si é cheia de exemplos. Davi teve o hábito de estar sempre dizendo coisas como, “Meus ossos estão em agonia. Minha alma está em profunda angústia. Estou desgastado em tanto gemer. Toda noite minha cama se encontra inundada em lágrimas” (Ps 6). Jonas cresceu tão bravo com Deus que desejou morrer (Jonas 4). Jeremias viu sua vida tão sem esperança que amaldiçoou o dia de seu nascimento (Jer 20: 14 -18). Elias estava tão carregado de ansiedade que pediu a Deus para encerrar a sua vida (1 Reis 19:3-4). Mesmo com suas lutas, cada um deles foi usado por Deus de forma única para coisas extraordinárias.

 

Deus é por você e Ele oferece a caminhada ao seu lado

 Quando Elias tornou-se suicida, Deus não o julgou por não estar alegre ou sem fé suficiente. Entretanto, Deus o encontrou no meio da sua luta com graça. E Ele te oferece o mesmo.

Jesus diz em Matheus 11:28-30: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. “

Isso é o tipo de Deus que Deus é. Ele nunca está surpreso quando chegamos a Ele cansados ou sobrecarregados. Pelo contrário, Ele espera por isso e nos convida a encontramos vida e descanso, Nele.

 

Depressão não é somente uma doença espiritual

 Infelizmente, cristãos ainda cometem esse erro de tratar a dificuldade da depressão como algo espiritual. Como pastor, eu compreendo o lado espiritual, mas a depressão é algo muito complexo para ser tratado de forma tão simples. Depressão é mais do que uma doença espiritual. Isso é sobre algo psicológico que pode afetar a sua saúde espiritual de diferentes formas.

Se você é um cristão com depressão, não cometa o erro de pensar que somente a oração é suficiente, que arrepender-se é suficiente, que reivindicar é suficiente, ou que se acreditar suficiente, você será curado. Isso é parte da solução, mas você também precisa encontrar uma maneira de tratar a doença com tratamentos médicos ou terapêuticos. Essa ferramenta da ciência é um presente e uma expressão da graça de Deus. Por favor, ignorem que tenta tratar isso com vergonha ou te fazendo pensar dessa forma.

Não podemos mais nos esquivar ou ignorar os temas sobre saúde mental nas igrejas.

Para alguns esse pensamento pode ser novo para a maioria de nós, que sempre estamos inclinados a continuar tratando o tema sem entender ,e sem a noção de como o número de pessoas sofrendo cresce entre nós. Mas para muitos, isso pode ser literalmente a diferença entre a vida e a morte.

Como cristãos, vamos nos comprometer e nos aproximar de assuntos sobre doenças mentais, com uma métrica extra de graça e humildade, assim como buscamos o amor e o aprendizado, juntos!

Senhor, que assim seja.

 

 

Traduzido e adaptado por Raquel Lebrão Original aqui

 

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?