Alô, Pai?

0

Pare e pense por um minuto, quanto tempo faz que você teve um encontro com Deus?

Com encontro eu não quero dizer uma reunião de jovens da igreja ou um louvor que mexeu com o seu coração. Pense melhor na pergunta: quando foi o seu último encontro com DEUS?

Sabe uma das coisas mais incríveis de Deus ser Deus? Ele está preocupado com o seu coração e não com o seu cabelo ou sua roupa. Tentei resgatar em minha mente todas as vezes que tive um encontro com Deus, e posso dizer que se Deus fosse uma pessoa que estivesse interessada em minha aparência, Ele estaria decepcionado. Nos meus encontros não houveram vestidos, salto alto e maquiagem impecável. Na verdade, me lembrei de todas as minhas conversas com ele no chão do meu quarto, de moletom e cabelo desarrumado.

Senti saudade. Quanto tempo eu não tinha um encontro com Deus?

Comecei então a pensar que minha oração, na maioria dos dias, é apenas parte de uma rotina. Tenho a sensação que, se eu não fizer a minha oração fria e quase decorada, eu não posso dormir tranquila… é quase que um ritual para finalizar o meu dia, ou para começar. Você se identifica com isso?

Certa vez ouvi um testemunho de uma mulher que cantava no louvor da igreja, e cada semana que passava, as pessoas percebiam que ela ficava mais apaixonada por Deus. Cada dia, essa moça descobria um aspecto novo de Deus e seu coração estava sempre cheio de palavras de gratidão. Então o pastor pergunta para ela o motivo dessa alegria constante. Ela responde:

“Eu nunca peço para Deus me dar novamente aquilo que experimentei a semana passada. Pelo contrário, eu falo: Deus, o Senhor é o criador, poderia criar algo novo na minha experiência de adoração ao Senhor? Poderia me dar uma nova perspectiva quando eu adorar?”

Curioso, né? Não temos o costume de pensar por esse lado. Se Deus é o criador, ele pode criar em nós algo totalmente novo. Ele ama criar. Ele ama se relacionar e nos dá total liberdade para pedir que ele crie uma intimidade com Ele de uma forma que nunca antes sentimos.

 

Durante os seus dias de vida na terra, Jesus ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da sua reverente submissão. (Hebreus 5:7)

 

Então tiraram a pedra. Jesus olhou para cima e disse: “Pai, eu te agradeço porque me ouviste. Eu sabia que sempre me ouves, mas disse isso por causa do povo que está aqui, para que creia que tu me enviaste”. (João 11:41-42)

 

Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. (Lucas 6:12)

 

Logo em seguida, Jesus insistiu com os discípulos para que entrassem no barco e fossem adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia a multidão. Tendo despedido a multidão, subiu sozinho a um monte para orar. Ao anoitecer, ele estava ali sozinho (Mateus 14:22-23)

 

Mas Jesus retirava-se para lugares solitários, e orava. (Lucas 5:16)

 

Jesus orava constantemente.

Pense nisso. Já passou pela experiência de ficar algum tempo longe de casa? Quando estamos longe de casa e as coisas apertam, a primeira coisa que fazemos é ligar para casa. Escutar o som que vem do outro lado da linha acalma o nosso coração, parece que mesmo com milhares de quilômetros, um telefonema te teletransporta para casa e para o colo daqueles que mais amamos.

Quando algo incrível acontece, ou mesmo quando o dia não poderia ter sido pior, o que mais queremos é ficar horas no telefone contando detalhe por detalhe dessa experiência nova que é ficar longe de casa.

Jesus telefonava para casa.

Quando as coisas apertavam, quando Jesus pensava no que Ele teria que enfrentar, ele ligava para casa, e o fato de estar falando com aquele que Ele mais amava acalmava seu coração. Dava coragem para enfrentar o que viesse pela frente, afinal, Ele tinha data para voltar para casa.

Se pensássemos nas nossas orações como um telefonema de volta para casa, o que seria diferente? É exatamente isso que as nossas orações são. Nós não estamos em casa, na verdade, o próprio Jesus nos disse que as coisas não seriam fáceis para os estrangeiros nessa terra.

 

“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”. (João 16:33)

 

Olhe para o céu. O Criador do universo, o cara que chama todas as estrelas pelo nome, aquele que ordena que o sol se ponha para a lua iluminar a noite… ESSE CARA está do lado do telefone ansiando pelo seu telefonema.

 

“Aquele que estava assentado era de aspecto semelhante a jaspe e sardônio. Um arco-íris, parecendo uma esmeralda, circundava o trono, ao redor do qual estavam outros vinte e quatro tronos, e assentados neles havia vinte e quatro anciãos. Eles estavam vestidos de branco e tinham na cabeça coroas de ouro. Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante dele estavam acesas sete lâmpadas de fogo, que são os sete espíritos de Deus (…) os vinte e quatro anciãos se prostram diante daquele que está assentado no trono e adoram aquele que vive para todo o sempre. Eles lançam as suas coroas diante do trono, dizem:

“Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas”.

(Apocalipse 4:3-5 e 10-11)

 

Se nada do que você tiver lido fez sentido para você, leia mais uma vez esses versículos, feche os olhos e imagine essa cena descrita em Apocalipse. O que você diria para Ele? Qual a primeira coisa que sairia da sua boca ao ver essa cena?

O seu Pai, aquele que está no trono, está preparando as coisas para a sua volta.

Quando as coisas ficarem difíceis, você pode ligar para casa. A ligação é gratuita.

 

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?