5 promessas que você vai morrer esperando e não vão acontecer

0

Estamos chegando na época das eleições e isso significa que logo mais os políticos estarão na frente das multidões, fazendo discursos emocionais e prometendo o mundo para os seus eleitores. Muitas dessas promessas nunca serão cumpridas, dificultadas por obstáculos políticos ou, possivelmente porque o candidato apenas fez uma promessa vazia para obter votos.

De toda maneira, temos a tendência de nos tornarmos defensores desses homens e mulheres, vendo-os como a única solução para os problemas que enfrentamos. É incrível como ingenuamente acreditamos nessas promessas. Infelizmente isso é algo que estamos propensos a fazer.

Ao contrário dos candidatos em tempo de eleição, Jesus nunca fez qualquer promessa que ele não pudesse cumprir. Jesus veio inaugurar um reino e Sua missão nunca falhará. Governantes e presidentes podem cair, mas a Palavra de Deus reinará para sempre (Salmos 119.89).

Por isso, assim como devemos nos agarrar firmemente às promessas que Cristo nos fez, também devemos lembrar daquilo que Ele não nos prometeu. O mundo pode nos fazer acreditar que as suas promessas se alinham com as promessas do reino. Lendo os Evangelhos, temos uma ideia muito diferente daquilo que Cristo prometeu e não devemos esquecer que, enquanto vivemos nesse mundo, somos cidadãos de um reino que transcende a política brasileira ou a retórica cultural.

Aqui estão cinco coisas que Jesus nunca nos prometeu:

UMA FÉ QUE NOS LIBERTARIA DO SOFRIMENTO

Isso parecia ser muito simples pra mim. No entanto, percebi que, quando as torrentes da tragédia e desespero chovem sobre mim, eu tenho uma espécie de “amnésia espiritual” e esqueço que Deus me prometeu exatamente o oposto de uma vida “feliz e sortuda.”

Em João 16.33, Jesus disse “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”.

Meu padastro faleceu no início deste ano e isso atingiu a minha família como um trem. Minha esposa e eu só conseguíamos chegar a Deus durante esse tempo porque sabíamos que isto era exatamente o que Jesus nos disse que aconteceria. Isso não torna as coisas mais fáceis, mas fez a nossa esperança eterna ficar muito mais clara.

Após perder a sua esposa, o escritor inglês C.S. Lewis disse: “Você nunca sabe o quanto você realmente acredita em algo até que a sua verdade ou falsidade se torna uma razão de vida e morte para você. É fácil dizer que você acredita que uma corda seja forte e segura, enquanto a está usando apenas para amarrar uma caixa; mas imagine que deva dependurar-se nessa corda sobre um precipício. Será que não iria primeiro descobrir o quanto na verdade confia nela?”

A vida não é fácil, mas a nossa fé também não é.

ELE NOS FARIA RICOS

Eu poderia passar muito tempo discutindo sobre a teoria de um “evangelho da prosperidade” e muitos dos leitores poderiam me escrever mensagens iradas com porções das escrituras que apontam para Deus prometendo prosperidade real. Embora eu tenha problemas com essa noção de evangelho próspero, acredito que se nos concentrarmos nas próprias palavras de Cristo, veremos que ele nunca prometeu riqueza ou saúde aos seus seguidores.

Isso dá razão ao meu ponto principal, porque precisamos lembrar que se somos cidadãos de um reino, devemos nos agarrar as palavras do Rei. Jesus não se opunha ao dinheiro ou aos bens materiais, mas ele também não buscava por eles. Jesus nos viu através dos olhos de Deus, como criaturas caídas disputando coisas mesquinhas e terrenas.

Quando as multidões estavam com fome, Ele as alimentou (João 6). Quando os impostos precisavam ser pagos, Ele os pagou (Mateus 17.27). Porém não encontramos em qualquer parte dos relatos bíblicos uma única justificativa que nos mostra Deus sendo um defensor da riqueza. Dentro dos evangelhos, na maioria dos casos a riqueza foi mostrada como um obstáculo para segui-Lo.

ELE NOS DARIA UMA VIDA SAUDÁVEL

Em matéria de saúde, sabemos que Cristo curou muitas pessoas. Ele prometeu que seus seguidores fariam obras ainda maiores do que os seus milagres. (João 14.2)

Ele costumava curar pessoas, mas ele não se concentrava na cura física como um fim em si mesmo. A cura foi mais um testemunho. No caso do homem paralítico ele disse: “os seus pecados estão perdoados.” (Mateus 9.2) E no caso do homem cego (João 9), ele disse que sua cegueira não tinha nada haver com os pecados do homem ou os pecados de sua família, mas “isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele.”

Jesus parecia mais preocupado com um espírito saudável do que com um corpo saudável (Mateus 9.12) e sabemos que mesmo que nossos corpos estejam com saúde, esse “saco de carne” um dia cairá em corrupção, assim como todas as coisas, até o dia em que Cristo voltar e nos ressuscitar para a vida eterna.

SUA IGREJA ESTARIA REPLETA DE PESSOAS PERFEITAS

Uma das muitas falhas de caráter que eu sofro é que tenho a tendência a acreditar que estou bem e mesmo quando tenho fatos que provam que eu estou errado, continuo acreditando que estou certo (estou trabalhando nisso). Conheço muitas pessoas que são afligidas pelo mesmo problema e isso parece ser uma parte teimosa da nossa natureza humana.

Jesus reconheceu esse problema em alguns dos seus apóstolos e constantemente os corrigia sobre isso. Muitas vezes o pior de todos parecia ser Pedro (vulgo “A Pedra”). Acho que ele era o “santo padroeiro dos cabeças-duras.” Pedro, assim como uma criança que levanta a mão pela primeira vez na classe, sempre estava pronto para dar a resposta certa. Ele queria provar que era um bom aluno, que tinha estudado muito e tinha ouvido as palavras de Jesus. E o próprio Jesus disse à Pedro, você me negará três vezes antes do sol raiar. E Pedro ficou horrorizado! Ele sabia tudo sobre ser o melhor discípulo e ele era o melhor seguidor que existia. Isso parecia totalmente impossível!

Jesus foi levado perante as autoridades, crucificado e todo o conhecimento de Pedro foi soprado como a palha ao vento. Ele negou Jesus três vezes, assim como Jesus disse.

No entanto, a lição que Pedro teve sobre humildade não parou por aí. Quando Paulo chegou a Jerusalém e se reuniu com os apóstolos, Pedro sentou-se com os judeus, separado dos gentios, como se ele fosse melhor que eles. Paulo chamou a sua atenção e Pedro mais uma vez foi humilhado. Pedro, o homem que esteve mais próximo de Jesus do que qualquer um de nós já esteve, precisou ser humilhado.

TODOS NOS AMARIAM POR SEGUI-LO

Na verdade, Jesus prometeu o oposto e disse que seriamos revelados ao mundo para segui-Lo. Embora seja triste que muitos cristãos estejam esquecendo esse fato em nossa cultura hoje, curvando-se para o mundo e comprometendo a verdade de Deus pelo conforto, também é bem verdade que alguns grupos são odiados por falar “a verdade” ao invés de exibir o amor radical de Cristo.

Não devemos temer o mundo, mas também não devemos provocar o mundo contra Cristo por provocar a raiva através da nossa própria justa indignação. Paulo disse que deveríamos tentar viver em paz com todos (Romanos 12) e nunca pagar o mal com o mal para alcançar o mundo com o amor de Cristo.

Eu sinceramente acredito que se os cristãos seguissem unilateralmente os ensinamentos de Cristo neste mundo, encontraríamos um mundo que é hostil para com o Reino de Deus, não porque Deus é um mestre muito duro com o mundo, mas porque ele não é duro o suficiente e seu amor ameaça a ordem estabelecida mais do que qualquer revolução violenta dos últimos séculos. O amor de Deus é uma das forças mais destrutivas do universo.

Existem coisas que o mundo pode nos prometer que Deus não prometeria, mas as promessas do mundo são muito mais pobres. Deus nos deu Seu filho, Jesus Cristo, e através da união com Ele, encontramos o cumprimento de todas as promessas que podemos buscar ou precisar.

 

Traduzido e Adaptado por Gustavo Neves. Original aqui.

No more articles
Fé inteligente todo mês na sua caixa de entrada?